terça-feira, 19 de junho de 2007

O nariz

Estava eu lendo um texto de manhã. Faço isso sempre.
Daí reparei que entre o meu pensamento e o texto havia um nariz.
O nariz era o meu mesmo.
Tentei me concentrar no texto, porque ele era meio cabeludo.
Mas o nariz continuava lá, narigando.
Lembrei de umas técnicas de meditação russa e consegui ler três parágrafos.
Estava hiper no conteúdo.
Daí comecei a reparar num barulho estranho.
Era a minha respiração.
Eu estava respirando pelo nariz, aquele que fica entre o meu pensamento e o texto.
A minha respiração estava me atrapalhando muito.
Não conseguia ler o texto.
Daí resolvi tampar o nariz. Acabar com aquela farra. Me concentrar no texto.
Tampei o nariz por um tempão.
E comecei a morrer devagarinho.
Esse negócio de morrer estava me atrapalhando a ler o texto.
Achei melhor destampar a respiração.
E coloquei um biquíni.
Fim.

2 comentários:

Maíra disse...

No mundo perfeito os biquinis sempre vencem e os textos são todos depilados.

Maíra disse...

Mundo perfeito já!