sábado, 19 de maio de 2007

uma canção, um comentário

Canção

A canoa virou

A canoa virou
Por deixá-la virar
Foi por causa da Sandra
Que não soube remar
Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar
Tirava a Sandra
Do fundo do mar



Comentário:

Gosto dessa música. Tenho boas lembranças dela. É engraçado esse lance da culpabilidade. Juntando com a música do "Crime hediondo na casa do João", acho que rola uma certa vontade de botar a culpa em alguém. Como se a gente estivesse sempre buscando um culpado: quem roubou pão na casa do João, quem não soube remar direito e deixou a canoa virar.

E se a culpa fosse do marceneiro que não fez a canoa direito? A culpa pode ser até do cara que vendeu a madeira pro marceneiro. Ele poderia ser um charlatão e garantiu a qualidade do material picaretamente. Não entendo isso de dizer que foi por causa da Sandra, que não soube remar. Não é todo mundo que pode fazer aula de remo na Lagoa Rodrigo de Freitas.

A parte que eu mais gosto dessa canção é "se eu fosse um peixinho". A Sandra se lascou, não remou direito e foi parar no fundo do mar, estava lá na maior agonia, e o cara pensando que se fosse um peixinho salvava a moça. Não é bonito? Desejar as guelras, as escamas. "Quem dera ser um peixe", já dizia Fagner. É isso. Fazer borbulhas de amor pra te encantar.

2 comentários:

Lia disse...

pois é... toda essa obsessão por culpa !

Maíra disse...

e quando alguem errava a música:

"não sabe, não sabe, vai ter que aprender,
orelha de burro, cabeça de ET,
parece fácil, mas é difícil,
um belo dia aprenderá.
BURRO!!!