domingo, 8 de julho de 2007

o resvalar da pele

Quando passa muito tempo longe do sol, a pele morena ganha um tom amarelado. As olheiras afundam, marcam, perfuram o rosto. Os pigmentos de espinhas e manchas se tornam mais visíveis. A pele morena nem sempre vai à praia. Nem sempre pega sol na praça.

Os branquelos dizem que têm inveja dos morenos, do eterno bronzeamento. Mas, se o moreno não é jogador de futevôlei, a chance dele estar sempre bronzeado e com cara de saudável é ínfima. Em tempos de solidão intelectual, cerramento escritorial e economia neoliberal, os morenos aos poucos ganham uma coloração hepatite C. Depois, hepatite C à beira da morte.
No fim, sem possibilidade de retorno, nos tornamos ogros.

2 comentários:

Anônimo disse...

blá blá blá

Bá disse...

Poxa, Clara, vc foi a primeira pessoa q me fez ficar feliz por um segundo por ser branquela. Valeu!