terça-feira, 11 de novembro de 2008

conchinha

"Não gosto de dormir de conchinha".
M., pouco antes de pedir aipim frito.

"Eu também não, espero meu namorado dormir e saio da concha."
F., tentando desentupir o saleiro.

"Se ele se mexer do outro lado da cama eu já acordo. Conchinha, então, nem pensar."
G. Y., tentando não se irritar ao tirar sal da orelha.

"Ô."
J., dando mais um gole.

2 comentários:

Monique disse...

Comparando "o dicionário dos carinhos mais preciosos" e o papo da "conchinha" constata-se: paulistanos não tem medo de escada rolante e podem até se apaixonar por uma delas!
Talvez só a luta pelo direito da calcinha bege possa nos unir!!!
Beijoca!

C.Méééirelles disse...

"aaaah mas é tão boom!" C.M., lendo o blog de C.M.

hehehe