segunda-feira, 20 de agosto de 2007

nós, os ansiosos

É muito fácil reconhecer um ansioso. A dica maior está logo ali, entre o cérebro e os membros superiores: pizza. Ansioso que se preze tem pizza. Não adianta, pode estar frio, calor, outono, ventos primaveris, o suor pizzesco não nos deixa em paz. Isso não quer dizer que é fedorento não, ô engraçadinho. Nós ansiosos também compramos desodorante. O problema é que parar de suar é um desafio.

É feio, eu sei. Ai, ai, ai, menina feia, não era pra ficar escrevendo essas coisas aqui. Já troquei de desodorante umas vinte mil vezes, mas o problema não é esse. O ansioso nunca está onde está, existem mil áreas do cérebro em funcionamento em um só momento, o que dá motivo para o transbordamento da ansiedade - e das pizzas. No fim das contas, o que interessa é que o sovaco é o órgão que melhor manifesta a loucura esquizofrênica. Se as milhares de pesquisas médicas psiquiátricas nunca descobriram isso, é porque menosprezam a capacidade sovacal. Dia desses me perguntei: será que o sovaco pensa? Acho que pensa. Acho que é uma extensão do cérebro. Sinapses, sinapses. Vou tentar ler com o sovaco dia desses. Ou não. Sei lá. Socorro. Vou parar de pensar, estou ficando com pizzas.

2 comentários:

Juju disse...

pizza, espinha ou gastrite

Lia disse...

mas que é nojento, é!