segunda-feira, 10 de março de 2008

Cátia

Cátia não tinha mais paciência para Valdir. Depois de umas idas e vindas, de um chove-não-molha incessante, ele até havia tentado ser direto, mas ainda assim parecia-lhe covarde. Ou medroso. Fraco, quem sabe. Achava que os três adjetivos estavam tão juntos em Valdir quanto a camisa que usava nos sábados de festa.

Foi em um domingo pela manhã que a impaciência se transformou em raiva. À tarde, a raiva tornou-se subitamente ódio, e Cátia lembrou-se da pistola chinesa que o avô recém-defunto deixara no fundo do armário.

A casa de Valdir ficava a apenas meia hora a pé. E sete minutos de bicicleta.

Um comentário:

juju disse...

mas ela foi de joaninha e deu o recado pelo rádio da polícia!