domingo, 25 de março de 2007

o tocador de pratos

O profissional mais estressado do mundo não é o cirurgião da emergência do Miguel Couto. Nem o grande executivo da grande multinacional. É o tocador de pratos de orquestra.

O cara estuda as partituras, vai aos ensaios, se empenha ao máximo. Tudo isso para q? Para aquele segundo do pam. Na apresentação, lá está ele, no fundo do palco. Os bracos segurando os pratos no alto, um de frente pro outro. Ele pode ficar horas nessa posicao, esperando o momento de tocar. Um movimento, dois três, mil. Daí de repente ele se prepara e - pam!- junta os pratinhos euforicos. Senta, dá uma relaxada e volta para sua preparação. Quando a musica eh mais agitadinha, pam, pam, pam, ele tem mais chances de mostrar sua arte.

Mas veja só o estresse: se o violinista errar, ninguem repara. Tá ali, zzzzzzz, no meio do bolo. Se o tocador de pratos errar, se ele tocar, pam, na hora errada, pá, ferrou, todo mundo vai reparar, a orquestra inteira vem, zupt, pra cima dele. Ele será escrotizado para o resto da vida, blé. Perderá, snif, snif, o emprego para sempre.


O tocador de pratos é o cara que aposta em um momento.

Um comentário:

Jujuba disse...

tb gosta de se arriscar e de adrealina e tem alto poder de concentração...