segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Maldição

A Diana me passou uma maldição.

Frase da página 161

1 - procurar um livro próximo;
2 - abri-lo na página 161;
3 - procurar a quinta frase completa;
4 - postá-la no seu blog;
5 - não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
6 - repassar a outros cinco blogs.

A minha frase:

"Quando conheceu Perón, em 1944, ela sustentava uma tribo de albinos mudos extraviados de orfanatos."

Do livro "Santa Evita", de Tomás Eloy Martinez, uma biografia ficcional instigante e impregnada de maldições.

Outros cinco blogs: Juju, Keiji, Antonio, Manoel, Lia.

Pronto. Dever cumprido.

Agora os PSs: procurei em três livros antes de achar essa frase. O primeiro era um livro de receitas com tomate, que não tinha página 161. O segundo era uma coletânea de contos do Borges, em que a página 161 estava totalmente em branco. Comecei a achar que a maldição ia me pegar na hora. Até senti uns calafrios no couro cabeludo. Daí me dei conta de que essa é uma maldição aparentemente sem conseqüências, uma vez que os danos causados pelo não-cumprimento não vieram junto com as ordens. O que pode ser muito pior. Ou não. E continuo sem entender por que eu possuo em minha estante um livro de receitas com tomate. Feliz Natal.

4 comentários:

Lia disse...

o engraçado é que eu pensei: qual frase postar... olhei pro lado e o primeiro livro que vi foi santa evita!
aí não vale! hauahahu!!
daqui a pouco me safo da maldição!
beijos

juju disse...

tá lá

Diana disse...

pois é. pensei "por que é maldição, então?"

el disse...

fiz!

bj!